Notícias
24-08-2017 - O papel do líder foi destaque no Fórum de Gestão de Pessoas
...

Ocorreu terça-feira (22), na Feevale, em Novo Hamburgo, o Fórum de Gestão de Pessoas. O momento principal foi a participação do historiador e professor doutor na Unicamp Leandro Karnal, que falou sobre Liderança e Sustentabilidade. "As crises pelas quais o Brasil passou e está passando são essencialmente de lideranças", comentou, ao destacar que as metas dos políticos verde-amarelos são reeleger-se, eleger seus aliados e ficar fora da cadeia. "E essa crise não é só brasileira, é mundial." Natural de São Leopoldo, Karnal ressaltou que nada é igual, tudo está em constante mudança.

"Transformar é a regra do mundo. Cada um de vocês será outra pessoa depois dessa tarde", falou, ao lembrar que toda a decisão de se acomodar, implica ficar para trás. "Tudo está em transformação. A crise vai passar e ela me oferece a opção de me adaptar a condições adversas. A guerra faz surgir o herói e o covarde. A crise faz a mesma coisa. Vivemos em uma zona de conforto, e o conforto vai eliminar a chance de tirar o melhor de mim."

Na avaliação de Karnal, um líder não nasce pronto. "Ele tem capacidade de ouvir mais e de integrar informações. Um líder é quem estimula o melhor de cada um para estabelecer um maior equilíbrio no ambiente de trabalho. Uma empresa tem que ser um local onde as pessoas se sintam amparadas", pontuou, ao destacar a importância de as lideranças não serem autoritárias e não terem vaidade.

A vice-presidente de Expansão da ABRH-RS, Simone Kramer, frisou que os palestrantes e painelistas vão trazer a sua vivência. "Sabemos o quão difícil é construir esse talento de liderança. Queremos oportunizar uma reflexão para que tenhamos mais ideias e conhecimento para poder identificar as dificuldades." O presidente da ABRH-RS, Orian Kubaski, ressaltou que o conhecimento inspira e liberta talentos.

"Queremos ampliar o desempenho exponencial de vocês", disse. O diretor da Entheusiasmos Consultoria em Talentos Humanos, Eduardo Carmello, foi o primeiro palestrante a falar. Para ele, o engajamento é um compromisso emocional e funcional. "O alinhamento precede o engajamento, que tem uma gestão singular com o propósito de afetar os resultados coletivos."

No painel mediado pela professora e pesquisadora da Universidade Feevale Maria Cristina Bohnenberger, participaram o publicitário Gabriel Gomes, a empresária e presidente da Federasul, Simone Leite, e o vice-presidente de Administração e Finanças da Randon e presidente do Conselho Diretor do PGQP, Daniel Randon. Gomes destacou que a maneira como enxergamos o trabalho mudou. " Temos que potencializar potências."

Simone comentou que todos têm a capacidade de liderar. "Estamos carentes de lideranças com bons valores, e cada um de nós pode influenciar no meio em que estamos." Já Randon, salientou que só se conhecem os verdadeiros líderes quando são colocados à prova. "É mais fácil demandar pessoas quando se tem uma proposta de valor clara."

O evento foi realizado pela Associação Brasileira de Recursos Humanos do Rio Grande do Sul (ABRH-RS) e pelo Grupo Sinos.

Jornal NH