Notícias
29-11-2017 - Terceirização abre caminho para ganho de competitividade e geração de empregos
...

A possibilidade de migração do contrato trabalhista para o terceirizado e o custo/benefício deste tipo de relação, bem como seus impactos para as empresas e empregados, foram discutidos nesta terça-feira (28), na FIERGS. Foi durante o painel Diálogos com a Indústria, realizado pelo Conselho de Reações do Trabalho (Contrab) da entidade. "Precisamos procurar diminuir a intervenção que existe, o governo querer regulamentar tudo, inclusive nas minúcias. Temos que emancipar, dar maioridade às relações trabalhistas no Brasil", afirma o coordenador do Contrab, Thômaz Nunnenkamp.

O painel teve a participação dos advogados Marcino Fernandes Rodrigues Júnior, Diego Vianna e Manoel Gustavo Trindade. A mediação foi do vice-coordenador do Contrab, Guilherme Scozziero Neto. "Muitas vezes praticou-se a terceirização de maneira inadequada e poucas vezes da forma correta. Atualmente, a formalização desses contratos diante do Marco Legal traz segurança jurídica", observa Vianna.
Rodrigues Júnior destaca que a realidade atual é outra, e por isso as relações precisam ser modernizadas. Com o advento da tecnologia, o trabalho não está mais apenas no ambiente físico da empresa, afirma, mas em todos os lugares, 24 horas por dia. Segundo ele, diante da nova regulamentação será viável reduzir de 10% a 45% os custos dos contratos, com ganhos não apenas para o empregador. "A legislação nova traz segurança jurídica para contratar terceirizados. Antes, contratos eram maquiados", comenta o advogado.

Comunicação da FIERGS