Notícias
05-06-2018 - Produção parada e demissões são reflexos do setor calçadista de Nova Serrana após paralisação dos caminhoneiros
...

Pesquisa realizada pela Abicalçados apontou que as principais empresas produtoras de calçado do país tiveram cerca de 49% da sua força de trabalho parada nos últimos dias de maio devido ao desabastecimento gerado pela paralisação dos caminhoneiros. Em Nova Serrana, empresas tiveram que parar o serviço pelo mesmo motivo.

 

Em Nova Serrana, principal pólo do setor no Estado, o Sindicato Intermunicipal das Indústrias de Calçados de Nova Serrana (Sindinova) informou que algumas empresas tiveram que parar o serviço de produção e programar férias coletivas devido ao grande número de produtos parados nas fábricas e a falta de matéria-prima.

Ainda segundo o Sindinova, outras empresas chegaram a demitir funcionários por conta das paralisações. Conforme os últimos dados disponibilizados pelo sindicato, a cidade tem 687 empresas atuantes no setor. Destas, 465 são fabricantes de calçados, 210 são fornecedores de matérias-primas e outras 62 são prestadoras de serviço que compõem o setor.

As empresas do município fabricam aproximadamente 800 pares de calçados por dia, conforme o Sindinova. Deste número, 96% da comercialização é feita por representantes e outros 28% são vendidos diretamente para o comprador.

Em nota, o sindicato informou que o número de vendas deve ser prejudicado devido às paralisações, que provocaram efeito cascata em diversos segmentos ligados direta ou indiretamente às indústrias da cidade.

G1