Notícias
08-04-2019 - Indústrias de calçados retomam contratações
...

 As indústrias brasileiras de calçados começaram a retomar, neste ano, a contratação de funcionários. O objetivo com a iniciativa é atender o aumento das encomendas de calçados para o mercado internacional. De acordo com informações da Abicalçados, no primeiro bimestre, as indústrias registraram uma geração líquida de 12.689 empregos. Esse número é 2,6% inferior aos 17.544 postos de trabalho criados no acumulado de janeiro e fevereiro de 2018. O total de empregados com carteira assinada na indústria calçadista chegou a 283,8 mil no fim de fevereiro deste ano, número 3,5% abaixo do saldo de empregos um ano antes. Os estados com maior geração de empregos neste ano são o Rio Grande do Sul, com 4,2 mil novas vagas, São Paulo, com 3,6 mil, Minas Gerais, com 3,0 mil, e Bahia, com 1,4 mil vagas."

A expectativa é que, ao longo do ano, esse fenômeno de recuperação dos postos de trabalho aconteça com mais intensidade. Ao longo do ano, o setor vai apresentar um desempenho melhor no mercado internacional do que no mercado doméstico", afirmou Heitor Klein, presidente da Abicalçados.

No primeiro bimestre do ano, o setor exportou 26 milhões de pares, 26% mais do que o volume registrado em janeiro e fevereiro de 2018. Em valor, houve crescimento de 16%, para US$ 183,7 milhões. O principal destino foi os Estados Unidos, com embarque de 3 milhões de pares, por US$ 37,74 milhões, altas de 67,7% em volume e de 59% em receita, respectivamente. O segundo destino foi a França, com 2,7 milhões de pares, incremento de 8%. As vendas para a Argentina recuaram 13,5% no primeiro bimestre, para 902 mil pares.

O executivo acrescentou que, se o inverno brasileiro for mais frio neste ano, como se observou no inverno do Hemisfério Norte, no fim de 2018, as vendas de calçados no mercado interno podem ter uma recuperação mais rápida. "Se fizer frio, as vendas de calçados se aceleram", disse Klein.

Valor Econômico