Notícias
18-12-2019 - Abicalçados espera melhora do mercado interno em 2020
...

Para 2020, a projeção do setor é otimista, embora com o "pé na realidade do mercado". "Não será um grande crescimento. Diferentemente de 2019, esse crescimento deve vir do mercado doméstico e não das exportações", projeta, ressaltando os problemas na Argentina, que devem dificultar ainda mais as exportações para aquele país. "No mercado interno, já notamos, nesses últimos meses, uma retomada na confiança do consumidor, o que deve refletir positivamente no aumento da demanda", acrescenta.

Para o próximo ano, o dirigente destaca que a pauta dos calçadistas seguirá sendo a redução do Custo Brasil, que engloba alta carga tributária, custos elevados com logística e burocracia, entre outros. "O próprio Governo Federal encomendou  um estudo que aponta que o Custo Brasil absorve 22% do PIB brasileiro, ou mais de R$ 1,5 trilhão. Percebemos um esforço no sentido de redução desses custos, que prejudicam historicamente a nossa competitividade. Porém, sabemos que isso não acontece da noite para o dia e por isso estamos atentados e levando os nossos pleitos para os poderes públicos constantemente", ressalta, acrescentando que o Governo, pelo viés liberal, vem buscando a redução dos custos para dar oportunidade a uma maior abertura econômica do País. "Estamos atentos a esses movimentos. Não somos contrários, porém a abertura deve ser precedida e uma redução correspondente do Custo Brasil", conclui.
O setor mantém no radar a manutenção da desoneração da folha de pagamentos no modelo atual (excluindo as receitas com exportações da contribuição sobre a receita bruta de 1,5%), o restabelecimento da alíquota do Reintegra em 3%, entre outras pautas.

Comunicação da Abicalçados