Notícias
27-06-2020 - Programa que financia folhas de pagamento faz três meses com apenas 10% emprestados
...

Sob promessa de reformulação, o programa de financiamento das folhas de pagamento das empresas fez três meses neste sábado (27) e pouco mais de 10% do total disponibilizado para a linha foi emprestado. No total, o programa recebeu R$ 40 bilhões (sendo R$ 34 bilhões custeados pelo Tesouro e o restante por bancos privados).

 
Até terça-feira (23), segundo dados do Banco Central, R$ 4,1 bilhões foram concedidos dentro do programa. Com isso, 1,8 milhão de empregados tiveram os salários cobertos em 107,4 mil empresas, bem aquém da estimativa inicial, de 1,4 milhão de empresas e 12 milhões de pessoas contemplados.
 
Um dos principais motivos para a baixa adesão das empresas ao programa é a exigência de não demitir o funcionário por período igual ao financiado (até dois meses). Diante do fracasso da linha emergencial, o governo anunciou que faria mudanças no programa para aumentar a adesão.
 
Depois de conversas com o Executivo, a Câmara dos Deputados aprovou, quinta-feira (25), mudanças no texto-base da medida provisória que criou a linha emergencial. Atendendo a pleito do governo, o texto trouxe mudanças e flexibiliza a exigência de que as empresas contratassem 100% da folha de pagamento por dois meses. Com o novo texto, a empresa pode contratar até 100% da folha, mas podem optar por percentual menor. Além disso, o empresário poderá contratar a linha por até quatro meses. A proibição de demissão por dois meses permaneceu no texto.
 
Folha Press