Notícias
30-06-2020 - Artigo: Independente da bandeira
...

Vivemos um momento de desafios que exige muito cuidado e bom senso, com cada um zelando pelas suas responsabilidades, para evitar que a sua omissão ou erro não cause prejuízos evitáveis aos outros. 

 

Neste sentido, é necessário que governantes e a população reflitam sobre as suas atitudes no enfrentamento da covid-19. Na região de abrangência das empresas associadas ao SinmaqSinos, o sistema de definição de restrições de atividades determinado por cores de bandeiras, está penalizando especialmente quem não tem poder algum de reversão, que é a iniciativa privada.

 
A responsabilidade sobre os indicadores previstos na definição da bandeira é dos governos e da população. Cabe aos governos a responsabilidade de melhorar as condições de enfrentamento nas questões da saúde e nas fiscalizações sobre o comportamento da população, que também deve zelar pela sua saúde, dos seus familiares, amigos e de todos com quem convivem.
 
A solução não é punir, através de mudanças constantes de bandeiras, a atividade produtiva, seja industrial ou comercial, porque ela está, em sua maioria, fazendo a sua parte, seguindo protocolos, zelando pela saúde de seus funcionários. 
 
E não se pode esquecer de que a atividade produtiva é fundamental para que a crise seja enfrentada neste momento e principalmente gere os recursos para que tenhamos a população com renda e dignidade.
 
Neste sentido, entendemos que o setor de tecnologia e máquinas tem papel decisivo na retomada do crescimento econômico. O novo momento exigirá melhorias de competitividade, o que as indústrias de máquinas fornecem aos seus clientes, através de inovações tecnológicas. E, mais do que isto, as nossas empresas oferecem aos clientes as vantagens do atendimento próximo, tanto na venda quanto na pós-venda, com soluções customizadas para as necessidades específicas de cada empresa.
 
Enfim, renovamos as expectativas de que em breve vamos poder estar mais próximos, realizando um movimento conjunto pela retomada da nossa economia, reforçando que  cada um deve fazer a sua parte preservando a saúde, economia e a dignidade das pessoas e empresas.
 
Davilson Nogueira - Vice-presidente do SinmaqSinos