Notícias
05-07-2020 - Brasil ainda patina para atrair capital, mas câmbio pode ajudar
...

O Brasil foi o emergente mais atingido pela debandada de fluxos de capital ocorrida a partir de março, enquanto o real registrou o pior desempenho entre seus pares, mas tamanho choque ainda falha em gerar ampla confiança de que o país está barato a ponto de ser candidato óbvio a receber parte das injeções de liquidez que inundaram o mundo desde então.

 
Isso não significa, contudo, que não haja algum otimismo. Alguns analistas chamam atenção para a melhora, ainda que tímida, do fluxo cambial, para a percepção de um real com excesso de desvalorização e para a conta corrente equilibrada.
 
A dúvida é se essa melhora na margem tem força para continuar, especialmente considerando as dificuldades do Brasil em lidar com a pandemia do coronavírus e seus efeitos econômicos.
 
O estrategista sênior para mercados emergentes do Standard Chartered Bank Ilya Gofshteyn avaliou que a delicada situação da trajetória das contas públicas brasileiras é um fator que pesa do lado negativo, com o país já adentrando a crise com o balanço fiscal sobrecarregado.
 
No geral, a avaliação de grande incerteza sobre os rumos da economia em meio a uma pandemia em curso, a temores de relaxamento na agenda de austeridade fiscal e a embates políticos pesa sobre o sentimento em relação ao Brasil, piorado pela volatilidade cambial - a mais alta entre as principais divisas emergentes.
 
Reuters